<body><script type="text/javascript"> function setAttributeOnload(object, attribute, val) { if(window.addEventListener) { window.addEventListener('load', function(){ object[attribute] = val; }, false); } else { window.attachEvent('onload', function(){ object[attribute] = val; }); } } </script> <div id="navbar-iframe-container"></div> <script type="text/javascript" src="https://apis.google.com/js/plusone.js"></script> <script type="text/javascript"> gapi.load("gapi.iframes:gapi.iframes.style.bubble", function() { if (gapi.iframes && gapi.iframes.getContext) { gapi.iframes.getContext().openChild({ url: 'https://www.blogger.com/navbar.g?targetBlogID\x3d7542969\x26blogName\x3dRecorda%C3%A7%C3%B5es:+segredos+de+um+porvir\x26publishMode\x3dPUBLISH_MODE_BLOGSPOT\x26navbarType\x3dBLACK\x26layoutType\x3dCLASSIC\x26searchRoot\x3dhttps://segredosdeumporvir.blogspot.com/search\x26blogLocale\x3dpt_PT\x26v\x3d2\x26homepageUrl\x3dhttp://segredosdeumporvir.blogspot.com/\x26vt\x3d-560577301979177114', where: document.getElementById("navbar-iframe-container"), id: "navbar-iframe" }); } }); </script>

Recordações: segredos de um porvir

São muitas as recordações, as que irei esquecer, e as que nunca hei-de lembrar. Como uma árvore e as suas folhas. Fecho os olhos. E, em segredo, relembro aquelas que, num outono, hão-de cair.

  • folhas de outras árvores

  • folhas no chão

    outros ramos

    soundtrack to your escape

    freedom sábado, setembro 25, 2004 |



    a segunda página |

    procurei, e procurei, mas não encontrei mais espaço em branco onde pudesse continuar a escrever. a primeira página, de um lado e do outro, estava escrita.
    pensei em fechar o diário e abrir outro. mas, reconsiderei, e arranquei-a. ainda tenho tantas páginas em branco, resolvi inaugurar a segunda. não sei quanto tempo durará esta. e o mais certo é que mais tarde arranque esta também e inicie uma terceira, e uma quarta páginas, e por aí em diante. por agora, só consigo escrever nesta. apesar das seguintes se encontrarem em branco, só nesta é que os contornos das palavras se mostram.
    até à próxima página...

    crime em figueira (mãe e tio assassinam filha) sexta-feira, setembro 24, 2004 |

    ...

    ... antes por ali, que não tem regresso. sexta-feira, setembro 17, 2004 |

    Procuro-me na bifurcação do tempo, e não me encontro. Defronte de mim, diferenciam-se dois trilhos. Um, que me leva onde pretendo ser o que não fui; e o outro, que me traz de onde não pretendi ser quem não sou. São várias as saídas e entradas também, que me conduzem para onde, não me achando, sempre estive, para de onde vim.
    É sinuosa a jornada, ainda mais para quem, no momento de escolha, quem decide é a indecisão de quem não sabe de onde veio. Ou será que não se opta e se aceita apenas caminhar num deles? Não. Neste emaranhado de veredas todos os problemas se nos colocam como inequações em que a solução depende das opções que tomamos, e mesmo aceitar caminhar num deles é uma opção.
    E como será, tantas vezes quantas as que se quiserem, optar por um em detrimento do outro? Gostava de o saber…
    Mas desta vez não vou por aí, não. Nem por aí. Escolho por caminhar noutro. Este.
    Que só tem uma saída e uma entrada, que não são a mesma. O caminho onde serei aquilo que pretendo, mesmo que com isso seja o que não sou e, tão pouco, fui.
    Enveredo por este caminho, sigo as pegadas de ninguém por onde nunca andei, e dirijo-me para onde nunca estive. E sei que vou bem.

    nova etapa segunda-feira, setembro 13, 2004 |

    consegui!
    consegui reunir as condições necessárias para (re)ingressar no ensino superior, desta feita em biologia! estando as apresentações e os reconhecimentos feitos, este ano é (mesmo) a valer!

    live sexta-feira, setembro 10, 2004 |

    Olival Rock, Nagosela (Santa Comba Dão), dias 10 e 11 de Setembro

    dia 10

    New Sketch
    July 13
    Voidshape
    Skapula
    Black Sunrise

    - Dj Mouse

    dia 11

    T'Shunk
    SpitOut
    For The Glory
    TwentyInchBurial

    - Dj Hugo

    só bandas nacionais. entrada livre.

    a soledade de só ouvir os talheres a(o) jantar... quinta-feira, setembro 02, 2004 |

    ...
    vezes há em que não me apetece, porque estou a fazer algo que não quero interromper ou porque simplesmente não tenho vontade, sentar à mesa "à hora de jantar" e jantar em conjunto.
    mas ter de me sentar sem ninguém a acompanhar "à (minha) hora de jantar", e jantar sozinho por causa de um "compromisso" parece tão desolador e faz sentir tão só...
    ou fez.
    ou foi só hoje.
    ou foi só hoje que se fez notar mais a ausência de todos...
    ou hoje eu é que andei mais distanciado de todos...
    ou algo me fez andar mais distanciado de todos hoje...
    ou... não sei. só não gosto e não quero é jantar sozinho. assim.