<body><script type="text/javascript"> function setAttributeOnload(object, attribute, val) { if(window.addEventListener) { window.addEventListener('load', function(){ object[attribute] = val; }, false); } else { window.attachEvent('onload', function(){ object[attribute] = val; }); } } </script> <div id="navbar-iframe-container"></div> <script type="text/javascript" src="https://apis.google.com/js/plusone.js"></script> <script type="text/javascript"> gapi.load("gapi.iframes:gapi.iframes.style.bubble", function() { if (gapi.iframes && gapi.iframes.getContext) { gapi.iframes.getContext().openChild({ url: 'https://www.blogger.com/navbar.g?targetBlogID\x3d7542969\x26blogName\x3dRecorda%C3%A7%C3%B5es:+segredos+de+um+porvir\x26publishMode\x3dPUBLISH_MODE_BLOGSPOT\x26navbarType\x3dBLACK\x26layoutType\x3dCLASSIC\x26searchRoot\x3dhttps://segredosdeumporvir.blogspot.com/search\x26blogLocale\x3dpt_PT\x26v\x3d2\x26homepageUrl\x3dhttp://segredosdeumporvir.blogspot.com/\x26vt\x3d-560577301979177114', where: document.getElementById("navbar-iframe-container"), id: "navbar-iframe" }); } }); </script>

Recordações: segredos de um porvir

São muitas as recordações, as que irei esquecer, e as que nunca hei-de lembrar. Como uma árvore e as suas folhas. Fecho os olhos. E, em segredo, relembro aquelas que, num outono, hão-de cair.

  • folhas de outras árvores

  • folhas no chão

    outros ramos

    soundtrack to your escape

    sinto o ar expirado na pele e isso assegura-me de que vivo

    hoje não é um desses dias...

    P.S. - Há dias em que se acorda sem a ajuda do despertador, em que dormir mais tempo que o tempo suficiente para o restabelecimento da nossa energia e das nossas funções orgânicas, é prodigalidade. Há dias em que, logo após acordar, nos olhamos no espelho e vemos, a olhar para nós, alguém a sorrir por razão que desconhecemos, e lhe retribuímos o sorriso. Há dias em que só aquelas memórias que nos esforçamos por não esquecer parecem fazer parte do nosso livro de recordações, e as relembramos sem o precisar de abrir. Há dias em que o sol não parece pôr-se, em que as estrelas não parecem deixar de brilhar. Há dias em que caminhamos despreocupadamente, e mesmo que sozinhos, nos sentimos acompanhados. Há dias em que caminhamos como se não houvesse gravidade, em que dançamos como se não estivesse ninguém a ver, em que cantamos como se ninguém nos ouvisse. Há dias em que ao passar por um canteiro, nos deter ía-mos diante de uma flor, a cheiraríamos, e sorriríamos. E, acaso libertássemos uma lágrima, seria apenas para que com ela, o arco-íris pudéssemos partilhar.

    You can leave your response or bookmark this post to del.icio.us by using the links below.
    Comment | Bookmark | Go to end
    • Blogger Mãozinhas says so:
      3:19 da manhã  

      :) (melhor do que escrever uma bacorada qq como escrivi agora... Okay "hoje" É um desses dias pa mim... mas o que importa?)

      tenho m k assinar esta coisa k escrevi???? top

    • Blogger Vicarious says so:
      4:42 da tarde  

      hoje é um desses dias?
      mas um desses dias, ou um desses dias que não é um desses dias?...
      sim... mas que interessa? hoje (tb) é um desses dias pa mim! :)
      *beijinho* top