<body><script type="text/javascript"> function setAttributeOnload(object, attribute, val) { if(window.addEventListener) { window.addEventListener('load', function(){ object[attribute] = val; }, false); } else { window.attachEvent('onload', function(){ object[attribute] = val; }); } } </script> <div id="navbar-iframe-container"></div> <script type="text/javascript" src="https://apis.google.com/js/plusone.js"></script> <script type="text/javascript"> gapi.load("gapi.iframes:gapi.iframes.style.bubble", function() { if (gapi.iframes && gapi.iframes.getContext) { gapi.iframes.getContext().openChild({ url: 'https://www.blogger.com/navbar.g?targetBlogID\x3d7542969\x26blogName\x3dRecorda%C3%A7%C3%B5es:+segredos+de+um+porvir\x26publishMode\x3dPUBLISH_MODE_BLOGSPOT\x26navbarType\x3dBLACK\x26layoutType\x3dCLASSIC\x26searchRoot\x3dhttps://segredosdeumporvir.blogspot.com/search\x26blogLocale\x3dpt_PT\x26v\x3d2\x26homepageUrl\x3dhttp://segredosdeumporvir.blogspot.com/\x26vt\x3d-560577301979177114', where: document.getElementById("navbar-iframe-container"), id: "navbar-iframe" }); } }); </script>

Recordações: segredos de um porvir

São muitas as recordações, as que irei esquecer, e as que nunca hei-de lembrar. Como uma árvore e as suas folhas. Fecho os olhos. E, em segredo, relembro aquelas que, num outono, hão-de cair.

  • folhas de outras árvores

  • folhas no chão

    outros ramos

    soundtrack to your escape

    a origem

    hoje vi um filme, "o príncipe do egipto", que me fez voltar a pensar na existência, ou não, de Deus. gostei do filme, e achei umas partes muito interessantes! mais tarde, se achar que vale a pena, e se ainda me lembrar, porei um post sobre ele.
    mas voltando a Deus. eu considerar-me-ia não tanto ateu, mas sim agnóstico. só queria, no entanto, deixar aqui uma ideia que me ocorreu, e que acho, tendo ou não lógica, interessante! é a seguinte:
    se tomarmos como válida a hipótese de a vida ter sido criada por uma entidade superior, Deus, temos que tomar igualmente como válida a hipótese de que Deus, além da vida, criou tudo. no entanto, para que o acto da criação possa acontecer e para que possa ser criado algo, esse acto tem que ter lugar, tem de ser enquadrado, num espaço e num tempo. mas se Deus criou tudo, Ele teve que criar também o espaço e o tempo. e o espaço e o tempo, a serem criados por Deus, tiveram de ser criados num espaço e num tempo. (e) Deus não pôde ter criado, simultaneamente, o espaço e o tempo necessários à criação do próprio espaço-tempo e, consequentemente, de todas as outras coisas.
    outra questão, com o mesmo problema, relaciona-se directamente com a existência de Deus. para Deus existir, Ele tem que existir num determinado espaço-tempo. ora, se ele criou tudo, incluindo o epaço-tempo, inviabiliza-se a hipótese de Ele existir. isto porque, para que a Sua existência seja possível ela tem de se enquandrar num determinado espaço-tempo, que teve que ser criado por Ele num outro espaço-tempo (que é necessário à criação) que ainda não existia, porque ainda não tinha sido criado (porque Deus tudo criou).
    mesmo alegando que Deus é intemporal e inter-espacial, isso continua a estar confinado a um espaço-tempo, em que o tempo é representado pela eternidade, e o tempo, pelo infinito; mas que tiveram igualmente de ser criados por Ele, em alguma altura.
    alegando que Deus é uma entidade espiritual, representada pelo que quer que seja, e que vive no coração das pessoas que estão dispostas a "alojá-lo" (que é, quanto a mim, a hipótese mais sensata), ele não pôde ter criado o que quer que seja, pelo menos material.

    como se pode depreender, eu não acredito na ideia de um Deus que nos criou e a tudo o que nos rodeia. mas a hipótese, chamemos-lhe, científica, também deixa algumas dúvidas.
    na secundária, disseram-nos, de forma quase dogmática, como na catequese, que a vida surgiu a partir duma atmosfera primitiva que continha determinda matéria inorgânica que, a partir de um princípio activo que agiu sobre ela, permitiu a "elaboração" dos precursores da vida. mas, antes disto, disseram-nos que a geração espontânea não é possível de acontecer.
    mas, o que foi isto que foi comprovado através da experiência de Stanley-Miller?
    a partir desta famosa experiência (se não houve modificação de resultados) foi comprovado que a partir de matéria inorgânica sobre a qual agiu um determinado princípio activo, é possível sintetizar aminoácidos e outros precursores da vida. foi comprovado, apesar de não ser ao nível da complexidade de vida de um ser animal, que a geração espontânea é possível.

    mas, ao invés destas duas hipóteses, a que me parece mais "verdadeira" é a de que não se pode conhecer a origem primeria das coisas.
    como li não-me-lembro-onde, "o segredo da origem e do fim das coisas está dentro de um baú, que contém lá dentro a chave para o abrir."



    You can leave your response or bookmark this post to del.icio.us by using the links below.
    Comment | Bookmark | Go to end
    • Blogger JoaquimGilVaz says so:
      5:05 da tarde  

      Não podes afirmar que és agnostico se refutas a ideia de Deus. Ao levantares essas hipoteses estás a induzir a sua possivel veracidade.

      "Deus é existirmos e isto não ser o fim." FP


      abraço

      JoaquimGilvaz top

    • Blogger Vicarious says so:
      1:19 da tarde  

      eu não refuto a ideia de Deus, eu refuto a ideia cristã de Deus. eu não acredito na ideia de uma entidade superior que nos tenha criado, não me parecendo igualmente válida a hipótese científica. sim, o levantamente dessas hipóteses possibilita a validade da sua existência, mas da sua existência vista como a igreja cristã nos mostra. as respostas às questões relativas à origem e ao fim das coisas ultrapassa o nosso conhecimento. top

    • Anonymous fada says so:
      12:56 da tarde  

      bem,mais uma bez uma reflexao interessante!em ambas as fases do teu texto fui concordando com a o que dizias acerca da origem da vida,embora ache que nunca faria tal texto porque como tudo começou não é algo que realmente me interesse(até pq acredito que por muitos textos q venham a ser realizados nenhum nos conseguirá explicar o inicio dos inicios,pelo menos de uma forma conclusiva para todos porque as crenças de cada um irão incidir inevitavelmente na que institivamente realizamos reflexao após apresentada a hipotese)! A existencia de Deus penso q será uma hipotese que sirva apenas d suporte a alguns(jamais a mim,q nao acredito nem deixo d acreditar,so lhe imune)q talvez necessitem se uma explicaçao para a origem de tudo isto! o que achava que devias fazer e talvez isso fosse o desafio era escrever acerca d como td irá acabar(embora talvez apos o um cuidado tao atencioso q temos vindo a ter com o nosso espaço e com o dos outros,o desfexo nao seja assim tao imprevisivel....quiça um aquecimento global arrase tudo e todos)
      d qql forma isso sim é o que me preocupa...porque tar a bater sempre na mema tecla do inicio da existencia?ja la vai, e pareceme q neste momento já há coisas mais importantes para serem refletidas

      no entanto...mais um texto que,como nao podia deixar d ser,muito bem construido* top

    • Anonymous Anónimo says so:
      4:30 da manhã  

      o que eu estava procurando, obrigado top

    • Anonymous Anónimo says so:
      12:40 da tarde  

      Genial post and this mail helped me alot in my college assignement. Gratefulness you for your information. top